Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Viçosa do Ceará recebe Festival Nacional Mel, Chorinho e Cachaça no feriado

cristo-vicosa-ibiapaba-750x430

O público poderá assistir a 17 atrações instrumentais de grupos cearenses e de outras regiões em três palcos distribuídos pela cidade. O Festival Nacional Mel, Chorinho e Cachaça terá sua primeira edição presencial nos próximos dias 16, 17 e 18 deste mês, durante o feriado de Corpus Christi, na cidade de Viçosa do Ceará, na Serra da Ibiapaba

“A gente tem do tango ao choro”, disse o diretor do projeto, Fernando Elpídio. A atração nacional prevista para encerrar o festival no dia 18, no palco da Igreja do Céu, é o cantor, compositor e sambista Jorge Aragão.

O projeto destaca as cadeias produtivas do mel e da cachaça e tem apoio da prefeitura de Viçosa do Ceará, do governo do estado, do Banco do Nordeste, Secretaria Estadual de Turismo, Serviço Social da Indústria (Sesi), Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae/CE) e Assembleia Legislativa do Ceará.

Capital da cachaça

Elpídio informou que Viçosa do Ceará funciona como a capital da cachaça do estado. Afirmou que, em março deste ano, a cachaça Aviador Prata, fabricada no Sítio Uruoca, no interior do município, foi eleita a melhor do mundo, ganhando medalha de ouro no concurso internacional London Competitions.

Hoje, a cidade e seus distritos têm mais de 30 produtores de cachaça artesanal. “Já existia uma musculatura de produção de cachaça com mais de 100 anos. E a produção do mel é um projeto que já existia pelo Sebrae. Viçosa do Ceará é uma das maiores produtoras de mel do Brasil”, opinou.

Para Elpídio, o festival une essas duas forças do agronegócio, que são o mel e a cachaça artesanal, de alambique, com a programação musical, “porque é uma cidade serrana, cuja temperatura é de 18°C.” “Então, o chorinho, como é instrumental, combinou melhor”.

Viçosa do Ceará é uma das cidades cearenses mais procuradas pelos turistas. O público estimado é de 10 mil pessoas por noite, entre turistas, visitantes e moradores de cidades vizinhas. O diretor do projeto revelou que, desde o primeiro ano de realização do festival, a ocupação hoteleira atinge 100% e  aquece a economia local. A partir de 2019, quando os organizadores intensificaram a questão promocional nas redes sociais, atingiram também o público do Piauí.

Durante o período do evento, serão realizadas feiras de produtos e serviços do mel, cachaça, turismo e artesanato da Serra da Ibiapaba, com 25 expositores. A ideia é unir gastronomia, turismo, cultura e negócios em um só festival.

Fonte: Sobral Online 

Deixe seu comentário:

Menu

Curta no Facebook